5 Mortes Esquecidas na Disney





5 Mortes Esquecidas na Disney




       E aí pessoal, hoje vamos falar de um assunto um pouquinho mais sério, morte de personagens, afinal quem nunca passou por um certo tipo de luto quando um personagem muito querido de alguma série, livro, ou filme morreu, e claro que isso acontece nas animações da Disney e Pixar também, com cenas que podem chocar os fãs bastante dependendo do personagem que passa dessa para uma melhor. A morte de Mufasa ou da mãe do Bambi são o tipo de coisa que sem dúvida arrancou lágrimas de todos nós quando éramos menores, mas hoje vamos fazer uma homenagem em especial a personagens que morreram no decorrer dos filmes em que participam, mas não são tão lembrados por nós fãs, seja pelo motivo que for, você vai ver que são mais do que você se lembrava, Então vamos começar? Vamos começar! 


5o Lugar: Coral (Procurando Nemo, 2003)


Olhando agora acho que o Nemo puxou mais à mãe.

            A corajosa mãe do peixinho palhaço mais famoso do mundo foi tirada do filme bem cedo, protegendo seus ovos de uma barracuda em uma clara prova de instinto maternal, eu lembro de ter achado durante todo o filme que no fim Marlim e Nemo a reencontrariam viva de alguma forma, e não ter acontecido isso me chocou um pouquinho. O fato é q pensando no filme eu pelo menos não me recordo da morte dela como algo tão marcante como foi por exemplo, a morte de Ellie em Up-Altas Aventuras, e é por isso que a Coral está aqui na lista.


4o Lugar: Sr. Arrow (Planeta do Tesouro, 2002)


O Primeiro Imediato da nave da Capitã Amélia

            O leal explorador do espaço era sem dúvida um personagem de moral inquestionável, sempre pronto a ajudar sua capitã, e manter tudo em ordem entre a tripulação, coisa que o levou a ser “silenciado” pelo terrível pirata Sr. Scroop, que acaba por joga-lo para dentro de um buraco negro no decorrer do filme, em uma das cenas mais fortes de todo o filme, e da Disney no geral em minha opinião, lembro de sempre pular ela quando assistia em DVD, por isso, e por realmente ter me apegado ao Sr. Arrow no pouco tempo que tivemos para conhece-lo.


3o Lugar: Helga Sinclair (Atlantis: O Reino Perdido, 2001)


“O Sr. Whitmore não morde. Com frequência...”

            A sedutora funcionária do Sr. Whitmore e mercenária disfarçada foi aquela que foi buscar Milo em sua casa, na noite em que ele descobriu a expedição em busca do reino perdido de Atlântida, e junto com o Comandante Rourke foram os lideres por trás do saque planejado à cidade, até o momento em que foi traída por seu parceiro, e em seus últimos segundos de cena tentou impedir sua fuga bem sucedida. Embora ela seja uma personagem secundária consideravelmente importante, e tendo papel central em diversas mortes ela ainda teve sua própria morte esquecida, por isso entra nessa lista.


2o Lugar: Ray (A Princesa e o Sapo, 2009)

“É só seguir o popozão que brilha!”

            Provavelmente a morte do Ray foi a mais “boba” de toda essa lista, depois de ajudar Tiana e Navee em sua jornada e ensinar a eles lições valiosas sobre família e amor ele foi simplesmente esmagado pelo Dr. Facilier, algo tão simplório que chegou a me incomodar quando vi pela primeira vez, e continua a incomodar. Esse é um personagem secundário que eu gosto muito, mas que por alguma razão foi esquecido por muitos fãs, talvez por isso não tenha seu sacrifício lembrado pela maioria, mas o importante é que foi uma atitude muito nobre!


1o Lugar: Nuka (Rei Leão II, 1998)


O filho primogênito de Scar e Zira.

            Nuka a pesar de ser um personagem mais complexo do que pode parecer a primeira vista também não tem seu fim devidamente lembrado, o que é realmente uma pena, já que foi importantíssimo para o desenrolar do filme. Nuka claramente não é um leão tão forte e saudável, talvez por isso Scar tenha colocado Kovu como seu sucessor em vez dele, Nuka guardou rancor por toda a sua vida, mas mesmo assim ele se manteve leal à sua mãe e ao seu bando até a morte, que desencadeou uma possível guerra nas Terras do Reino.


            Então é isso pessoal, espero que tenham achado interessante relembrar estes personagens, tinha algum que você não lembrava? Comente aí embaixo, e se achar que faltou algum pode nos avisar também, não esqueça de nos visitar na página do Facebook também, e ver outros posts aqui do blog, esperamos que tenha gostado. Um abraço, e até a próxima!     


  

A Disney e a Broadway

Ahhh, a Broadway... aquela parte de Nova York que já nos faz ver os neons, holofotes e ouvir a orquestra conduzindo o número de dança que dá vontade de fazer na hora.

Resultado de imagem para gif enchanted how does she know
Tipo essa cena
Pra quem não sabe exatamente, (eu não sabia até pouco tempo) além do nome de uma rua de Nova York, “Broadway” é também um gênero de teatro. Suas produções típicas envolvem canções e coreografias para contar as histórias, e existem há mais de um século! É claro que com tanta história, a Disney não ia mesmo ficar de fora, né?
  GIF
Dar show é com a gente mesmo
Vários filmes clássicos já foram contados em forma de espetáculo, e alguns ainda estão em cartaz. O primeiro a estrear na Grande Maçã foi A Bela e a Fera, que ficou de 1991 a 2007, sendo uma das maiores permanências em cartaz da história da Broadway.

“Espetáculo” é pouco para definir a peça de “O Rei Leão”.  A obra-prima de Tim Rice e Elton John foi o que podemos chamar de “arrasa-quarteirão”, batendo recorde de lucros e contando com Julie Taymor, a primeira mulher a ganhar um prêmio Tony em direção musical (é tipo o Oscar do teatro).
Imagem relacionada
Hoje a noite, em Nova York, quem manda é o leão.
A Disney já contou com produções de Tarzan, Mary Poppins, Newsies (um live-action que ainda preciso assistir) e atualmente apresenta A Pequena Sereia (Só por mais essa semana...) e Aladdin, além de O Rei Leão (que alguns dizem que não vai sair nunca, e eu nem reclamo). Existem planos de adaptar Frozen para os palcos em 2018, mas enquanto isso, nosso estúdio favorito não se afasta do mundo mágico da música de palco. Por isso, vamos aplaudir os artistas principais desse post, As Lendas da Broadway que estão na Disney!

A Broadway invadiu a Disney, ou foi o contrário? (Por Mylena Pessoa)

Idina Menzel
Resultado de imagem para idina menzel
Foto de Live Nation
Esse é um nome de prestígio tanto entre os fãs de musicais como para nós disnerds. A nova-iorquina foi a primeira a interpretar Elphaba, uma das protagonistas do famoso espetáculo Wicked (aquele que conta a história das bruxas de Oz). Este papel rendeu a ela o prêmio Tony, além de já ser parte da nossa cultura pop (vai ser mais ainda com o filme que vem aí...)
Resultado de imagem para elphaba gif defying gravity
Ela desafia a gravidade
Quatro anos depois, (em 2007) Idina fez sua estreia na Disney em Encantada, interpretando Nancy Tremaine, futura madrasta da pequena Morgan. Se eu soubesse quem ela era antes de ter assistido, tenho certeza que passaria o filme todo esperando ela cantar... não rolou, mas quem sabe na continuação?
Resultado de imagem para gif nancy tremaine
Princesa ela já é
O reinado de Idina na Disney não parou por aí. Talvez ela tenha se tornado um nome ainda mais popular no mundo do Mickey em 2014, quando deu a voz à poderosa rainha Elsa, que canta aquele hino que já deve ser conhecido até nas outras galáxias. “Let it Go” chegou ao top 5 da Billboard, ganhou um Oscar e um Grammy. Muita gente chegou a comparar a canção, de forma positiva, com Defying Gravity, interpretada pela diva em Wicked. Faz sentido por ambas canções falarem de independência, se libertar de uma opressão injusta, e pelas personagens serem de alguma forma, rebeldes.
Resultado de imagem para gif elsa walking
Além de poderosíssimas
Por falar na Idina, em Wicked e em divas da Broadway, não podia ficar de fora a primeira intérprete de Glinda, a bruxa Boa, no mesmo musical. Kristin Chenoweth, de Oklahoma marcou presença no original Disney Channel Descendentes, como Malévola.
Resultado de imagem para kristin chenoweth maleficent gif
Destruidora mesmo

É interessante observar como na Broadway ela era uma bruxa boa, e na Disney uma fada má.

Resultado de imagem para kristin chenoweth glinda
Encontrada no Pinterest

Prontos para o SEGUNDO ATO? Então vamos lá

Lin-Manuel Miranda
Resultado de imagem para Lin Manuel miranda
Foto de MSNBC
Vocês tem que me perdoar, mas eu não dei a esse lindo o valor merecido quando vi Moana pela primeira vez (ele é um dos principais compositores). Apesar das músicas  serem, na minha opinião, uma das melhores coisas do filme, ainda não tinham bastado para eu reconhecer como esse nova-iorquino é genial!




Eu quando conheci o trabalho de Lin-Manuel Miranda

Lin fez muita coisa na vida, entre as quais (e o que me fez prestar atenção nele, desculpa Moana) o musical Hamilton, uma história embalada em Rap e Hip Hop sobre a independência dos Estados Unidos, que ele concebeu após ler a biografia do personagem-título, um dos pais-fundadores do país.
"Satisfied"
Versão Disney dessa peça, como nas fanarts de Patrycja Ćmak, seria meu sonho?
O moço é ator, cantor, escritor e compositor (apenas), já ganhou um prêmio Pulitzer, 3 Tonys, 2 Grammys, um Emmy e mais um monte de prêmios de artes cênicas que eu nunca ouvi falar. (só não levou o Oscar por causa de La La Land porque alguma coisa aquele filme tinha que ganhar  já é a segunda piadinha que faço de La La Land no disneyscopio, isso tem que parar).
Resultado de imagem para tamatoa gif
Tamatoa inveja a quantidade de troféus de seu compositor
Após seu sucesso nos palcos, Lin teve a primeira participação na Disney contribuindo pra trilha sonora de, atenção, STAR WARS VII! Isso mesmo, ele é o compositor da música da cena da cantina, que é uma homenagem a cena e a canção da trilogia clássica.

Mas o momento de maior brilho do artista no mundo Disney, foi a trilha sonora de Moana. Junto com Mark Mancina and Opetaia Foa'i, ele foi responsável pelas consagradas canções, e inclusive cantou We Know the Way (Pra ir Além, em português) e a versão dos créditos de You’re Welcome (De Nada).
Se você, assim como eu, virou fã do Lin, pode ficar feliz! O divo estará em Mary Poppins Returns, que estreia em Dezembro do ano que vem, além de dublar um personagem no novo desenho de Duck Tales, do Disney Channel. Existem ainda, uns rumores de que ele está negociando as músicas do provável Live Action de A Pequena Sereia. 
Parece que alguém veio á Disney pra ficar...
Para quem quer mais provas de como Lin-Manuel Miranda é legal, ele fez aparições em How I Met Your Mother, House, Modern Family, The Sopranos, entre outras.

E fez uma improvisação de rap com O OBAMA!

Resultado de imagem para lin manuel miranda obama gif


Ágora, chegou a hora das cortinas descerem! Espero que tenham gostado, e de repente, se interessado um pouco pelo mundo musical do teatro. E se você já era um fã, espero que aprove a homenagem a esses três talentos incríveis que foram dos palcos para os reinos da animação! Obrigada por serem nossa plateia hoje, e participe do show deixando seu comentário aqui ou na página do Facebook! Até a próxima!





5 Músicas “Proibidas” da Disney (Parte 2)

Olá pessoal! É com muita alegria que trazemos agora para vocês a parte dois deste post que causou uma repercussão tão bacana em sua primeira parte que conseguimos montar uma nova lista apenas com sugestões dos comentários da nossa página no Facebook, que você sinceramente deveria curtir se ainda não o fez, será que sua sugestão entrou na lista? Descubra agora mesmo... É isso, vamos começar? Vamos começar!
Primeiro vamos situar o pessoal que está aqui pela primeira vez, ou não viu a parte 1 (que, aliás também ficou muito boa), Antes de tudo entendam o sentido de “Proibida” aqui, não é que os pais devam proibir seus filhos de assistirem aos filmes por causa dessas músicas nem nada disso, são músicas com letras que até fazem sentido no contexto do filme, mas se alguém ouvir ela de relance pode pensar algo completamente errado, entende? Olha só os exemplos abaixo, e diz se não é o tipo de parte em que você pausa o filme quando aquele parente que não é fã de Disney aparece na sala... rsrs


                                    Desenho de Mylena Pessoa

5o Lugar: Ele é um Vagabundo (A Dama e o Vagabundo, 1955)



“A Peg já cantou em muitos palcos.”

            A Dama e o Vagabundo, um clássico incontestável sobre como o amor pode mudar as pessoas para melhor, Lady sem dúvida fez isso com o Vagabundo, que no final se torna um cuidadoso e responsável pai de família, mas há quem preferisse ele antes de tudo isso, e a nossa cantora canina Peg faz questão de deixar isso bem claro na cena do canil, onde ela canta todo o amor que ainda tinha pelo seu jeito desregrado e até desrespeitoso. Faz sentido conhecendo ambas as personagens e o enredo, mas imagine alguém que nunca viu o filme passando no momento exato dessa cena e ouvindo “Infiel, adorado! É o cão que me desperta emoções. Infiel, um malandro! É volúvel, desleal...” se não fosse pelo ritmo da música a pessoa se perguntaria se você está vendo um desenho animado ou um show de sertanejo universitário.  Hehehe

4o Lugar: Música no Ar (Rei Leão II, 1998)



“Quando me lembro de Simba, eu fico um pouco tensa”
Jura?! Nem reparei... Hehe

            Quem viu a parte 1 desse post já notou que essa é a segunda vez que uma música desse filme aparece, mas o que fazer quando uma mesma animação tem um coral de bichos falando de vergonha, desgraça e humilhação, e a canção de ninar mais perturbadora de todos os tempos na voz da “carinhosa” Zira?! A psicopata parceira de Scar faz questão de deixar claro ao resto de seu bando o que deseja à família real das Terras do Reino, com a voz de Simba a morrer, sua filha a se contorcer e sua leoa a gritar, pesado? Nããão impressão sua, e as coisas só contam mais pontos para que a música entre nessa lista quando Zira se refere a todo o seu plano de guerra e vingança como música no ar, a vilã é incrível a música ótima, mas acho que ninguém aqui se sente confortável para sair cantarolando ela no ônibus ou na rua, não é?

3o Lugar: Vai Morrer! (A Bela e a Fera, 1991)



Gaston atiçando todos contra a coitada da Fera.

Essa cena e essa música são um claro exemplo de como o poder e a influência nas mãos das pessoas erradas podem causar tragédias, Gaston amedrontando o povo com mentiras conseguiu levar todos à atacarem o castelo em uma única noite, esse é um momento de arrepiar. Voltando ao ponto central do post, essa música é além de tudo perturbadora, com as pessoas cegas pelo ódio à alguém que julgam perigoso pelas aparências, tudo que a moral do filme combate o tempo todo, e por todas essas razões essa música entra agora na lista das músicas “proibidas”.

2o Lugar: Bárbaros (Pocahontas, 1995)



“O que se esperar, desses pagãos nojentos?”

            Foi realmente difícil escolher qual das duas músicas era mais tensa, se essa ou a anterior de Gaston, mas acabei opinando por “Bárbaros” mesmo, já que é baseada em fatos que realmente aconteceram, e mostra como o ódio cegou ambos os lados, com a tribo de Pocahontas vendo os ingleses como “demônios” e os ingleses os vendo como uma “maldita raça”. Sem dúvida não é o tipo de coisa que todo mundo entenderia como parte de algo maior no filme, conheço gente que sem dúvida adoraria usar essa música para dar algum velho discurso vazio de que a Disney é do mal, e que está incitando a brutalidade para as crianças que assistem, tenho cabeça pra isso não, na moral!

1o Lugar: E Foi o que Passou (Hércules, 1997)



Mitologia grega e Disney, casamento perfeito!

            Pois é, deixamos a melhor para o final, aquela que levou pessoas a proibirem seus filhos de assistirem filmes da Disney e escrever textos enormes sobre como esse filme é do maligno (não estou brincando, se você procurar na internet tem altos textos falando isso), mitologia em si já não é algo tão bem visto por certas pessoas, e essa música a pesar de cumprir muito bem o seu propósito de amedrontar infelizmente também chamou a atenção desse pessoal de mente vazia. A música “E foi o que Passou” interpretada pelas Musas é dividida em duas partes, a do início em que nos são apresentados os deuses e os titãs, e outra que nos apresenta ao terrível plano de Hades, e essa sem dúvida não é recomendada se você quiser impressionar seus amigos que não são fãs de Disney, no karaokê, quer dizer, pode até impressionar, só não vai ser no bom sentido.


            Então é isso, pessoal, mais uma listinha de músicas Disney que podem ser mal interpretadas se vistas fora de contexto, e essa é ainda mais especial que a primeira, por que foi feita com sugestões de vocês mesmos. Obrigado a todos que comentaram e nos ajudaram, se a música que você falou não está aqui não se preocupe, nos lembre dela aí nos comentários, o mesmo vale para quem tiver novas sugestões, e quem é novo aqui não se esqueça de ver a parte um das músicas “proibidas”, e os outros posts bacanas que já fizemos. Um abraço, e até a próxima!  

Curiosidades sobre "Carros" #EleEhoCara


Olá pessoal! Hoje eu trouxe para vocês algumas curiosidades sobre a história de um estreante convencido que aprendeu a “desacelerar’. Isso mesmo! Estou falando do sucesso Carros, a grande aposta da Pixar em 2006, cuja terceira continuação está com a estreia na largada, agora dia 13 de Julho. Como eu odeio falta de créditos, aviso logo que algumas delas vieram da pixar.wikia.com



Já postamos duas curiosidades um tempo atrás lá na página do Facebook, sobre o nome do Relâmpago McQueen ser uma homenagem a um grande animador da Pixar, seu número ser 95 pelo ano de lançamento de Toy Story, primeiro longa da empresa, e a mais recente, sobre a origem da marca dos pneus do filme. Mas esse filme é tão cheio de detalhes que um post só dele foi tão merecido quanto um troféu da Copa Pistão.

Já estão com o pé na tábua? Então aqueçam seus motores e vamos lá! #KA-CHOW



Se você é só viu o filme uma, no máximo duas vezes, pode ter deixado algumas piadas automobilísticas passarem despercebidas. Como por exemplo, quando um repórter mais “ozado” aborda o McQueen sobre algo que todos querem saber:

                                                  “É verdade que você vai posar sem lataria?”


                                                            As fangirls curtiram isso

E por falar em lataria, já repararam nos detalhes da cobertura dos carros? Você reconhece um carro de corrida pela quantidade de decalques que eles trazem. É só olhar pro Chick Hicks, primeiro rival do McQueen. Repare que no meio dessa bagunça de adesivos, dá pra ver que ele é patrocinado por um banco chamado Hostile Takeover Bank, que significa "Aquisição Hostil”, um nome que com certeza não foi por acaso e combina direitinho com o jeito do Chick. 


 
                                                 Pixar não deixa passar nada mesmo, né?

E no caso do McQueen, tem várias referências a produtos do dia-a-dia adaptados para o mundo dos Carros, como por exemplo:
Como se não bastasse, enquanto preparava esse post, descobri que cada adesivo desse representa o patrocinador oficial dos carros de corrida figurantes! E cada um deles tem um nome!
Floyd Mulvihill, da Gasprin, remédio para dor.

James Cleanair, da Vitoline, vitamina para carros mais velhos

Claude Scruggs, da Leak Less, escorredor de óleo para carros adultos.


Mas não são só as latarias dos carros de corrida que tem algo a dizer sobre eles. Lembra da Sally e sua tatuagem? E você já notou o que tem em cima dela? O nome “Carrera” que é o sobrenome da charmosa advogada de Los Angeles. Interessante, né?  









Porém, a curiosidade mais interessante pra mim, veio com uma pesquisinha sobre o filme, e é um fato meio que restrito aos grandes fãs de corrida de carros: o Hudson Hornet foi mesmo um corredor famoso! Nos anos 50, o Fabulous Hudson Hornet foi um grande carro na Nascar, uma das maiores ligas de corrida automobilísticas dos Estados Unidos, e já foi dirigido por vários pilotos famosos.

O Piloto Marshall Teague ao lado do carro que inspirou o juiz durão de Radiator Springs.


Hudson Hornet da vida real. Lindo, né?









Ainda sobre o Hudson, um fato triste que eu não sabia quando vi Carros 2 (2011) pela primeira vez, e senti muita falta do nosso corredor veterano favorito: Paul Newman, dublador do personagem, faleceu em 2008, três anos antes do lançamento da sequência, e por esse motivo a Disney/Pixar cortou o mentor do Relâmpago McQueen do filme...


Sentimos sua falta, Paul/Hudson...


Agora, essa é pra quem é fã número um de Carros. Vocês sabiam que o Disney World tem uma área do Hotel Art of Animation dedicada ao filme? A decoração é simplesmente maravilhosa demais para palavras, então vou deixar o vídeo aqui

E aí? Algum desses fatos te pegou de surpresa? Eu deixei de mencionar algo interessante? Qual é o filme da Pixar que você gosta tanto que já sabe todas as curiosidades? E Carros 3? Está todo mundo tão animado quanto eu? Digam aí nos comentários e até a próxima! #EleEhoCara